FIS 2015

Na sua edição inaugural, o FIS – Festival Internacional de Solos convida o público poveiro a vir ao Cine-Teatro Garrett para uma programação recheada ao longo de três dias. Teatro, Dança e Circo em todos os espaços da mais emblemática casa de Cultura da Póvoa de Varzim numa filosofia de contacto entre um público e um só intérprete. Pretendendo explorar essa relação privilegiada, este é um festival que oferece aos espectadores a possibilidade de entrar em vários universos cénicos distintos tendo sempre como anfitrião apenas um único artista.

FIS – Festival Internacional de Solos nasce do fortuito encontro entre as associações vizinhas Marácula (Póvoa de Varzim) e Ventos e Tempestades (Vila do Conde), prontamente apadrinhado pelo Cine-Teatro Garrett.

O FIS pretende ser uma plataforma de criação, produção, acolhimento e divulgação de espectáculos a solo, concebidos no âmbito das diferentes abordagens artísticas (dança, teatro de palavra e de gesto, performance, novo circo, música, …) e tendo como foco o intérprete enquanto agente comunicador único. Para mais, deseja-se também reforçar o tecido cultural da cidade e consolidar a fruição artística dos diferentes públicos através da produção de um evento anual com um conteúdo de altíssimo nível técnico-artístico.

Nesta primeira edição do Festival, dar-se-á relevo às criações nascidas no seio das duas estruturas co-produtoras, habitando-se os vários espaços do Cine-Teatro Garrett: Sala Principal, Sala de Ensaios, Sala de Actos, Café- Concerto e Subpalco. Cada solo terá o seu espaço e cada espaço poderse-á adaptar a vários solos, convidando-se o público a viajar tanto pela arquitectura dos lugares físicos como pela arquitectura da programação.

“O Cisne” por Tiago Regueiras

“Quase corpo” por Hugo Emanuel Magalhães

“Diário de um Louco” por Pedro Galiza

“326 MORMURs” por Dídac Gilabert

“Outrora” por Crestina Martins

“uma forma quase cilíndrica” por Teresa Santos

“Un après-midi de la poésie pour la liberté (solo)” por Isabel Costa

“Només Ricard” por Xavier Torra

“O homem que só pensava em números (solo)” por Pedro Carvalho

“Martha” por Sara Garcia

“Planisfério” por Joana Martins

“A Mulherzinha” por Inês S Pereira

“Sapo al Vapor” por Giselle Stanzione

http://fis.pt/wp-content/themes/salient/css/fonts/svg/basic_spread_text_bookmark.svg

VER LIVRO DE SALA DA EDIÇÃO DE 2015