FESTIVAL INTERNACIONAL DE SOLOS

O FIS – Festival Internacional de Solos nasceu do fortuito encontro entre as associações vizinhas Marácula (Póvoa de Varzim) e Ventos e Tempestades (Vila do Conde), prontamente apadrinhado pelo Cine-Teatro Garrett.

O festival pretende ser uma plataforma de criação, produção, acolhimento e divulgação de espectáculos a solo, concebidos no âmbito das mais diversas abordagens artísticas (dança, teatro de palavra e de gesto, performance, novo circo, música, …), firmando o mote que lhe deu origem: o contacto íntimo entre o público e um só intérprete.

A ideia basilar que suporta o FIS assenta num impulso de criação básico partilhado por artistas com os mais variados percursos dentro das artes performativas: a canalização de toda a responsabilidade, poder e imaginação criativas e performáticas através de um único corpo, uma única voz, uma única consciência. Desde a plasticidade abstracta da Dança à construção psicológico-narrativa do Teatro, passando pelo virtuosismo cénico do Circo, poder-se-á dizer que o espectador se pretende desafiado, a cada instante, na sua capacidade de absorção de estímulos vindos de múltiplas direcções, através de um ritual de partilha da fragilidade e coragem solitárias de um único intérprete.

Prevalece, assim, a missão do FIS ser um festival em movimento: palcos, propostas, performers, espectadores e consciências em contínuo movimento, em contínua provocação e sobressalto. Um projecto onde as preocupações, desafios e soluções avançadas por estruturas de criação performática contemporânea se podem livremente expressar.

CO-FUNDADORES

MARÁCULA

A Marácula é uma estrutura transnacional de contínua pesquisa, investigação, criação e produção teatrais, cujo trabalho se desenvolve simultaneamente em Portugal e Espanha. Um recreio de actores. Um recreio sério e a sério, artística e esteticamente meticuloso e com uma aguda consciência das responsabilidades inerentes ao acto teatral, mas, ainda assim, um recreio, um espaço de liberdade onde os impulsos criativos dos seus integrantes se podem exercitar, cruzar, questionar e materializar em formas continuamente renovadas.

O intérprete como agente vivo da criação no momento da mesma; a arte como motor transformador do “aqui” e “agora”; o palco como ponto de encontro e comunhão entre o presente quotidiano e sensível do público e a ficção posta em movimento pelo performer. São estas as linhas-mestras da sua filosofia de criação e cujos intrínsecos desafios abraça com entusiasmo, procurando produzir um trabalho tecnicamente exigente, coerente e depurado, mas nunca conformado ou conformista.

Sendo uma entidade que não pretende apenas suportar a produção de criações próprias, mas também estabelecer pontes com outros projectos e criadores, a Marácula assume-se como uma companhia multifacetada no desenvolvimento das artes cénicas, estruturando-se, assim, como um projecto congregador, multiplicador e difusor de visões e discursos teatrais distintos e diversos.

VENTOS E TEMPESTADES

A Ventos e Tempestades − Associação Cultural, com sede em Vila do Conde, tem como principais objectivos a sensibilização, divulgação, produção e criação de projectos no âmbito da dança contemporânea e outras artes performativas.

A Associação, fundada em 2011, nasce do encontro de profissionais da dança e da necessidade de criação de uma plataforma para o desenvolvimento dos seus projectos, individuais e colectivos.

Companhia Ao Vento, Relâmpago e Levante são os projectos já desenvolvidos pela Ventos e Tempestades.

CINE-TEATRO GARRETT

O Cine-Teatro Garrett é um dos mais emblemáticos espaços de cultura da Póvoa de Varzim, cujo nome faz homenagem ao famoso escritor e dramaturgo português do século XIX Almeida Garrett, e pelo qual já passaram as mais diversas manifestações artísticas, desde espectáculos de dança e teatro a concertos e sessões de cinema, atraindo ao longo dos tempos milhares de pessoas ao centro da cidade.

Situado na Rua José Malgueira e cujo edifício primitivo data de 1890, foi reaberto a 14 de Junho de 2014, após ter sido adquirido pelo município em 1998 e submetido a um profundo processo de remodelação. Esta reestruturação contemplou não só o redimensionamento da própria sala de espectáculos, a criação de novas acessibilidades entre todos os pisos e de novos camarins, e a reestruturação geral do palco e das áreas técnicas, mas também a criação de outras salas destinadas a receber eventos de menor escala e de uma zona de bar e esplanada no piso superior do edifício.

Com mais de 480 lugares sentados e capacidade para se adaptar às especificidades das mais variadas manifestações culturais, este novo espaço está preparado para receber grandes espectáculos, voltando a assumir-se como um dos mais importantes pontos de atracção do centro da cidade e contribuindo para a dinamização cultural e turística da mesma.

EQUIPA

Direcção Artística
Nuno Leites

Programação
Dídac Gilabert
Inês S Pereira
Nuno Leites
Pedro Galiza
Teresa Santos

Direcção de Produção
Inês S Pereira

Direcção de Comunicação
Adriana Leites

Direcção Técnica
Pedro Morim

Design
Snack Studio

O FIS – Festival Internacional de Solos agradece ainda a colaboração fundamental de todos os voluntários e profissionais aqui não identificados.