Cinemateca

por Bruno Alexandre

25 NOV 2017 • 21h30

Cine-Teatro Garrett • Sala Principal
Dança • ≈ 35 min • M/12 • 7,00 €
COMPRAR BILHETE

Sinopse

Cinemateca teve um ponto de partida: entrevistas a realizadores dos quais destaco Fritz Lang, John Cassavetes, Federico Fellini, Ingmar Bergman e Aki Kaurismäki.

Ao invocar o cinema como matéria de trabalho, propus criar uma peça que se possa indiciar como cinematográfica. Ao usar estes discursos/entrevistas, pretendi criar em palco um corpo que se associe à palavra e ao som, criando um universo simbólico e referencial ao cinema.

Cinemateca coloca-se entre entrevistado e entrevistador, entre realizador e espectador, propondo-se criar uma ficção possibilitada pela dança.

Ficha Técnica e Artística

Criação e Interpretação Bruno Alexandre
Sonoplastia e Música Miguel Lucas Mendes
Desenho de Luz Pedro Santiago Cal
Apoio Dramatúrgico Miguel Lucas Mendes e Tiago Rodrigues
Apoios Companhia Olga Roriz, Fundação Calouste Gulbenkian, Materiais Diversos e Centro Cultural do Cartaxo
Agradecimentos Bruno Canas, Cristina Piedade, Henrique Figueiredo, Joana Martins, Joana Vieira Lino, Mafalda Saloio, Maria Ribeiro, Olga Roriz e Tiago Guedes
© Foto Sara Santos

Biografia

Bruno Alexandre (n.1977, Lisboa). Licenciado em Dança pela Escola Superior de Dança e Licenciado em Direito pela Universidade Autónoma de Lisboa.Actualmente é mestrando de Artes Cénicas na FCSH. Trabalha na Companhia Olga Roriz desde 2007, integrando todos os seus espectáculos apresentados em Portugal, Macau, Brasil e Coreia do Sul. Trabalhou também com Filipa Francisco no espectáculo “A Viagem” e com Tiago Rodrigues/Companhia Instável em “Assim, tipo…dança contemporânea”. Foi ainda intérprete e criador dos espectáculos “Lugar Vagon”, premiado pelo Clube Português de Artes e Ideias, apresentado no festival Citemor e de “Aguada” ambos em colaboração com Pedro Santiago Cal e Mafalda Saloio. Como coreógrafo criou o solo “Cinemateca”, apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e Materiais Diversos, que teve a sua estreia no Festival Cumplicidades em Lisboa. No Cinema participou em “Nadadoras” de Susana Nobre e em “Mariphasa” de Sandro Aguilar. No Teatro trabalhou com Susana Vidal no espectáculo “Rosto, Clareira e Desmaio” estreado no Teatro Nacional D. Maria II e participou no “Aqui há regras”, uma proposta do Collectif Jambe para o Festival Alkantara. Como professor dirigiu workshops de Improvisação e Composição na ETIC, CMJ (Conservatório de Música da Jobra), F.O.R (Formação Olga Roriz), Centro de Artes de Sines e Festival Sidance (Seul).