Ephemeral traces

Jordina Millà

28 NOV 2021 • 17h10

Cine-Teatro Garrett • Sala de Ensaios
Catalunha
Música / Improvisação
≈ 50 min • M/6 • 7,00€
COMPRAR BILHETE

Sinopse

Ephemeral traces é uma viagem sónica das mãos da pianista e improvisadora Jordina Millà. A música será improvisada e os vestígios dela irrepetíveis.
Jordina tem uma sensibilidade extrema no tratamento do som utilizando o piano estendido, desenvolve uma linguagem musical única centrada na pesquisa de como nos podemos expressar e conectar fora dos limites da tradição musical. Delicadeza, força e contundência conduzem a uma qualidade sonora específica e a um controlo técnico que a caracterizam.
O traço efémero é um traço obrigatório para os entusiastas do som e os apaixonados do presente.

© Foto Petra Cvelbar

Biografia

Jordina Millà, pianista e improvisadora, tem sido influenciada pela música desde os primeiros anos. Licenciou-se como pianista clássica na CODARTS University of Arts em Roterdão, onde continuou os seus estudos e obteve o Mestrado em interpretação de piano. Durante esse período, foi-lhe atribuído o Programa de Bolsas de Estudo Huygens pelo Ministério da Educação, Cultura e Ciência da Holanda. Após a sua estadia na Holanda, mudou-se para Paris para continuar os seus estudos na Ecole Normale de París. Durante esse período, tem estado muito activa a oferecer recitais como solista e música de câmara na Holanda, Espanha, Bélgica e Itália.
Ao longo do tempo, a necessidade artística desenvolveu o seu interesse por outra abordagem da música. No caminho encontra Agustí Fernández que a guia nos caminhos da improvisação. Actualmente música improvisada e de linguagem contemporânea são os seus principais interesses.
Na Primavera de 2018 estreou-se com o seu álbum Solo “Males herbes” que teve um belo impacto nos apaixonados e críticos desse género musical.
Nos últimos dois anos tem colaborado com a Companhia de Dança Doutor Alonso no Mercat de les Flors em Barcelona. Com a bailarina Iris Heitzinger apresentando o projecto de improvisação Kaleidoskop na Posthof em Linz e na ARGEkultur em Salzburgo. E fez parte de Investigations, uma obra do artista Christian Marclay apresentada no MACBA Barcelona. E tem criado a música para o projecto Our Own Room para a bailarina Natalia Jimenez. Tem colaborado com improvisadores internacionais, tais como o trompetista de Berlim Axel Dörner, o cantor Almut Kühle, o baterista Yorgos Dimitriadis, o guitarrista Andreas Willers e Barry Guy.
Actualmente reside na Alemanha e lançou recentemente “When forests dream”, um álbum de dois pianos com Agustí Fernández, que foi premiado por Enderrock de les Illes Balears, para o melhor álbum de Jazz 2020.