NOMÉS RICARD

por Xavier Torra

21 NOV 2015 • 22h00

Cine-Teatro Garrett • Sala Principal
Teatro • ≈ 1 h 10 min • M/16 • 5€
Espectáculo em Catalão com legendas em Português

Sinopse

“A piedade de olhos lacrimosos não vive nos meus olhos.”
William Shakespeare

“Només Ricard” (Apenas Ricardo, em catalão) é, acima de tudo, um solo que encontra na peça “A Tragédia do Rei Ricardo III”, de William Shakespeare, o seu ponto de partida. Uma única visão do mundo sanguinário e tétrico da obra é aqui trabalhada: a visão de Ricardo. Todas as outras personagens apresentam-se como marionetas manipuladas por ele, sendo apenas invocadas estética ou textualmente. Ricardo é autor, actor, encenador e público da sua própria e retorcida criação.

Da imensa pobreza de um palco vazio, o actor toma nas suas mãos todo o poder cénico. O seu corpo transmuta-se, adapta-se, recria-se, fragmenta-se, é um e muitos, está em todo o lado e não está em lado nenhum. Busca-se sempre o minimalismo de meios por forma a concretizar o efeito cénico justo, a dose correcta de estímulo visual e intelectual que possa colocar o espectador dentro do processo significativo, criando uma relação directa, íntima e simbólica entre este e o actor.

Ricardo, ansioso por reinar, lançar-se-á numa impiedosa corrida pela coroa, reavivará as chamas da guerra, arrasará as famílias de York e Lencastre e transformará a Inglaterra num matadouro. A ascensão aos céus de um verdadeiro demónio e a sua retumbante queda no mais abismal dos infernos.

Ficha Técnica e Artística

Baseado na peça “A Tragédia do Rei Ricardo III” de William Shakespeare
Interpretação e Adaptação Xavier Torra
Encenação e Adaptação Pedro Galiza
Design de Luz e Sonoplastia Oriol Rufach
Espaço Cénico Josep Latorre
Design Gráfico Adriana Leites
Motion Design Nuno Leites
Fotografia Nuno Leites e Pedro Galiza
Produção Marácula – Associação Cultural
© Foto Nuno Leites

Biografia

Xavier Torra nasceu em 1984 em Calaf, Barcelona. É formado em Interpretação – Teatro de Texto pelo Institut del Teatre de Barcelona, tendo também completado dois anos de Interpretação na escola Aules de Barcelona, realizado um curso intensivo sobre Shakespeare com Cristina Castillo e estudado Técnicas de Interpretação em Cinema e Televisão com Marc Martínez. Trabalhou com Elena Fortuny, Vanessa Segura, Martí Viñas, Nicolas Chevallier, Pep Tosar, Joan Castells, Pedro Galiza, Albert Boronat, Marc Chornet, Raimón Molins, Ricard Soler, entre outros. Em 2010, co-fundou a companhia Proyecto NISU, com a qual faz uma digressão pelo circuito de teatros independentes de Espanha e com a qual ganhou o prémio “Escena Simulacro”, organizado pela Sala Triángulo, em Madrid, e o Festival FIB. Ganhou também o prémio de melhor actor nos Festivais de Teatro de Tàrrega e Mataró e o prémio de melhor actor secundário no Festival de Teatro de Caldes de Montbui. Em 2015, participou como actor no FIS – Festival Internacional de Solos.