Festival Internacional de Solos

Txoria

Cine-Teatro Garrett, Sala de Ensaios

Sinopse

“A suspensão é um instante, uma pontuação que pára o tempo.
Numa caligrafia efémera… Sujeito, verbo e vírgulas separam proposições misturadas no prosseguimento casual de um bla, bla, bla sem fim. Os momentos virtuosos são intimidade, cuja leitura nos transporta ao abandonar o discurso.”

TXORIA é uma peça curta. Um resumo de um trabalho de investigação. A intenção de completar um caminho, de juntar em cena as conclusões de uma busca pessoal. Um malabar frágil, um silêncio quebrado apenas pelos sons do papel. Uma forma única de dar vida a objectos e animar materiais. Um lançamento e um retorno que não são alheios ao corpo. Uma proposta sincera e simples. Cada vez mais simples.

Estreado em Outubro de 2015, já subiu ao palco nos Estados Unidos, França, Espanha, Itália, Holanda… e, agora, Portugal.


Biografia

Mikel Ayala, natural de Bilbao, há já quinze anos que estuda a relação entre objecto, malabarista e cena. Depois de se formar nas escolas de Circo “Circomedia”, em Bristol, “Carampa”, em Madrid e “Le Lido”, em Toulouse, passa a interessar-se, posteriormente, numa aproximação distinta ao objecto. Estudou Teatro de objectos, materiais, marionetas e cenografia com a Companhia Philippe Genty, ferramentas que empregou no desenvolvimento de uma modo muito pessoal de entender os malabares, distante do simples virtuosismo do Circo. Co-fundador da Companhia “Subliminati Corporation”, distinguida com o prémio “Jeunes Talents de Cirque Europe”, produz “Cabaret Subliminal” e “#file_tone”, ambos apresentados mais de 150 vezes em toda a Europa e América Latina. Actualmente, encontra-se a criar a sua nova produção “Deixe-me”.

Ficha técnica e artística

Criação e interpretação Mikel Ayala
Música “Txoria txori” de Mikel Laboa

Duração ≈ 10 minutos ● M/6

© Foto Frédéric Joyeux

+ Programação desta edição