Festival Internacional de Solos

Rizoma

Cine-Teatro Garrett, Subpalco

Sinopse

Um rizoma é um caule que cresce de forma horizontal e subterrânea, podendo ter também crescimento aéreo. Cresce sem direcção definida e é polimórfico. Pode executar funções de raiz, tronco ou ramo dependendo da localização dessa porção na planta e do seu ambiente de crescimento.
Quando pensas numa planta… No que pensas?
Quando pensas numa planta… Ela tem raízes? Ela tem um caule? Ela tem folhas?
Pode uma planta crescer quase sem água? Quase sem ar? Quase sem luz?
Um vaso, uma mulher, um músico. «Rizoma» é um work-in-progress sobre a teoria filosófica “Rhizome” de Deleuze e Guattari. Uma pesquisa contínua sobre sensibilidade, força, adversidade e infância. Um sopro de liberdade horizontal sobre o pensamento hierárquico e vertical da vida quotidiana. Uma aventura surrealista através da imaginação. Poesia visual.


Biografia

Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto (FFUP) e farmacêutica comunitária de 2016 a 2021.
Ginasta durante vinte anos e atleta de competição de Ginástica Acrobática por dez, iniciou-se no circo aos 15 anos como contorcionista autodidacta. Retornou anos mais tarde, mais profundamente, à exploração desta área. Encontrou nas disciplinas de pinos, acrobacia e aéreos a liberdade e a extensão do treino adquirido anteriormente.
Trabalhou com Corda Bamba, Erva Daninha, Marionetas da Feira, Nuvem Voadora e LaFontana – Formas Animadas. É co-criadora e intérprete da companhia Coração nas Mãos e dos espectáculos “Corpo-Todo” e “Chá das cinco – peça para quatro amigas mais uma que nunca mais chega.” Apresentou o seu trabalho em vários festivais nacionais como Catavento, Trengo, Bolina, Vaudeville Rendez-Vous, LEME e Festival dos Canais.
Foi também treinadora de Ginástica Acrobática no Ginásio Clube Vilacondense (GCV) e professora no Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC). É organizadora dos Cabarets de Circo do Porto.
A sua curiosidade e espírito de aventura levaram-na a Toulouse, onde concluiu a «Formalisation de Projet Artistique/Cirque», na ESAC – TO/LIDO-PRO, Le Lido. Experiência esta, que lhe permitiu receber formação de nomes sonantes do circo francês como Christian Coumin, Pascal Angelier, Nicanor de Elia, Florent Bergal, Albin Warette, Aurélie Vincq, entre outros. Ao mestrado “Performing Public Space” na Fontys – School of Fine and Performing Arts em Tilburg, na Holanda, ao projecto “CRECE” da escola espanhola Carampa dirigido por Jorge Albuerne e ao “Certificat en dramaturgie circassienne” do Centre National des Arts du Cirque (CNAC).

Ficha técnica e artística

Concepção, interpretação e espaço cénico Rita Carmo Martins
Espaço cénico e sonoplastia original tocada ao vivo André Júlio Turquesa
Direcção artística e olhar externo Joana Carmo Martins
Cenografia Rita Carmo Martins e Rui Quintas de Azevedo
Figurinos Rita Carmo Martins, Joana Carmo Martins e Atelier Iraíde Silva
Desenho de Luz Rui Quintas de Azevedo
Apoios à criação FOCON: «Formalisation de projet artistique/cirque», na École Superior des Arts du Cirque Toulouse Occitanie
(ESAC–TO/LIDO-PRO), Le Lido e Grainerie (fabrique des arts du cirque et de l’itinérance), Master “Performing Public Space” – Fontys School of Fine & Performing Arts, Tilburg, CARB – Cooperativa Artística da Raia Beirã

Residência artística fAUNA | habitat de criação – Teatro da Didascália, Lugar Específico, Programa Cultura em Vila do Conde 2021, Estúdio 80 pilates

Duração ≈ 30 minutos ● M/6

© Foto Joana Carmo Martins

+ Programação desta edição