Festival Internacional de Solos

INMUNDA

Cine-Teatro Garrett, Subpalco

Sinopse

Este solo fala da intimidade de uma mulher sozinha na sua casa de banho. É a contra-face, o contra-corpo, a contra-forma de uma sociedade moderna, ansiosa e eficiente que existe através da auto-imagem. É o resíduo de tudo o que escondemos para evitar ser cru, excessivo, bizarro, real. “INMUNDA” é o convite para um espaço íntimo num espaço público.


Biografia

Investigadora de movimento e artista de circo, apaixonada pela analogia do corpo e a sua capacidade de criar paisagens activas que provocam uma poética e ficção crua. O seu objectivo cénico é trabalhar através do símbolo físico que revela outra verdade. A sua abordagem é baseada no argumento “O corpo é político”, reforçando a capacidade de denunciar qualquer alegoria ou realidade reflectida. A sua acção entre a fotografia e o design transforma a sua companhia num habitat orgânico onde desenvolve este aspecto identitário plástico-digital.

Ficha técnica e artística

Ideia, interpretação e criação Juana O. Kipppes
Apoio ao movimento Joan Català Carrasco
Apoio coreográfico e técnica de circo Julie Bergez
Texto original Juana O. Kippes
Olhar externo Antxon Ordoñez Bergareche
Criação sonora Adrià J. Garriga e Juana O. Kippes
Desenho de luz Adrià Juan Garriga
Figurino (reprodução e confecção) Pilar Biencatón
Desenho de cenografia Betty Cau
Produção Janika e Rita Stivala

Duração ≈ 40 minutos ● M/12

Foto © Antxon Ordoñez Bergareche

+ Programação desta edição