Festival de Artes Performativas

Verde Prato

Cine-Teatro Garrett, Sala Principal

Sinopse

O seu novo álbum Adoretua, da palavra basca adore, significa coragem e bravura. Estes são os adjectivos que usamos para descrever uma artista que enfrenta sozinha tanto a composição como o palco. E ela faz estas coisas com coragem, cantando como uma carta de intenções. Adoretua tem luz de uma forma que as canções de Verde Prato nunca tiveram antes. Este também é um devir do tom mais trágico para um bolero mais alegre ou mesmo pop. Abandona a conceptualidade que unia os seus discos anteriores para voar livre mas intimista, recolhendo experiências pessoais e expressando temas universais como o amor, o erotismo, a desilusão e o encontro com o mundo, a solidão, os sonhos…


Biografia

Verde Prato é um talento único que surge de uma onda de cantores- compositores que expressam a sua identidade através do poder da sua voz. O seu primeiro álbum, Kondaira eder hura (Plan B records 2021) alcançou os pódios do The Best daquele ano. Desde então, publicou Jaikiera 7”(Hegoa Diskak) e o EP Euskal Pop Erradikala (Plan B records 2022). O seu novo álbum Adoretua, da palavra Basca adore, significa coragem e bravura. Adoretua tem luz de uma forma que as canções de Verde Prato nunca tiveram antes. Gravado e produzido em conjunto com Jon Aguirrezabalaga no El Tigre Studios, Adoretua é a confirmação da evolução desta artista única, que continua a sua ascensão rumo a um céu cheio de nuances desconhecidas, de cores insuspeitas.

Ficha técnica e artística

Voz e teclado Ana Arsuaga

 

Duração ≈ 60 minutos ● M/16

 

Foto © Maria Muriedasnotti

+ Programação desta edição