Uma não história # when i’m laid in earth

por Victor Hugo Pontes

24 NOV 2017 • 21h30

Cine-Teatro Garrett • Sala Principal
Dança • ≈ 20 min • M/6 • 7,00 €
COMPRAR BILHETE

Sinopse

Uma não história é um projecto de Victor Hugo Pontes, em colaboração com diferentes artistas. When i’m laid in earth é o primeiro capítulo, que tem como ponto de partida o tema Lamento de Dido, da ópera Dido e Eneias de Purcell, onde convida três cúmplices de projectos anteriores. Cada um deles oferece-lhe uma peça desta história. Esta história não é a sua, mas poderia ser.

Ficha Técnica e Artística

Direcção e Interpretação Victor Hugo Pontes
Colaboração Elisabete Magalhães, Joana Craveiro e Marco da Silva Ferreira
Sonoplastia Rui Lima e Sérgio Martins a partir de “when i’m laid in earth” de Henry Purcell
Desenho de luz Wilma Moutinho
Produção executiva Joana Ventura
Produção Nome Próprio
Agradecimento Daniela Cruz e Madalena Alfaia
© Foto Susana Neves

Biografia

Victor Hugo Pontes nasceu em Guimarães, em 1978. É licenciado em Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Em 2001, frequentou a Norwich School of Art & Design, Inglaterra. Concluiu os cursos profissionais de Teatro do Balleteatro Escola Profissional e do Teatro Universitário do Porto, bem como o curso de Pesquisa e Criação Coreográfica do Forum Dança. Em 2004, fez o curso de Encenação de Teatro na Fundação Calouste Gulbenkian, dirigido pela companhia inglesa Third Angel, e, em 2006, o curso do Projet Thierry Salmon – La Nouvelle École des Maîtres, dirigido por Pippo Delbono, na Bélgica e em Itália. Como criador, a sua carreira começa a despontar a partir de 2003 com o trabalho Puzzle. Desde então, vem consolidando a sua marca coreográfica, tendo apresentado o seu trabalho por todo o país, assim como em Espanha, França, Itália, Alemanha, Rússia, Áustria, Brasil, entre outros. Das suas mais recentes criações como encenador/coreógrafo destaca: Fuga Sem Fim (2011), A Ballet Story (2012), ZOO (2013), Ocidente, de Rémi de Vos (2013), Fall (2014), COPPIA (2014) em co-criação com Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves, Orlando (2015) em co-criação com Sara Carinhas, Se alguma vez precisares da minha vida, vem e toma-a (2016), CARNAVAL (2016), a convite da Companhia Nacional de Bailado, UNÍSSONO – Composição para cinco bailarinos (2016) e NOCTURNO (2017) em co-criação com Joana Gama. Em Março de 2007, venceu o 1º Prémio com o trabalho Ícones no 2nd International Choreography Competition Ludwigshafen 07 – No ballet, em Ludwigshafen, Alemanha. Com o espetáculo A Ballet Story, foi nomeado, em 2013, para os Prémios SPA na categoria de Dança – Melhor Coreografia. É, desde 2009, o Director Artístico da Nome Próprio – Associação Cultural, com sede no Porto.